Arquidiocese sediará próxima edição da Romaria da Terra e das Águas

Foto: Franklin Machado/CNBB Sul 4

A 26ª Romaria da Terra e das Águas acontecerá na Arquidiocese de Florianópolis, em 2021. O anúncio foi feito ao final da edição realizada no último domingo, 15 de setembro, em São José do Cerrito, na Diocese de Lages.

O arcebispo de Florianópolis, Dom Wilson Tadeu Jönck, participou da Romaria deste ano e já antecipa a calorosa acolhida que os romeiros encontrarão na arquidiocese. “Para nós, é uma alegria receber novamente um evento tão importante para a Igreja do Estado de Santa Catarina. Que, desde já, todos se sintam bem vindos em nossa Arquidiocese!”, saúda Dom Wilson.

Com o tema “Semeando vida no campo e na cidade”, mais de 10 mil romeiros das dez dioceses do Regional Sul 4 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) estiveram presentes no evento. A Arquidiocese de Florianópolis participou com cerca de 400 pessoas de diversas foranias.

25ª Romaria da Terra e das Águas

Foto: Uilian Dalpiaz/CNBB Sul 4

A Romaria foi iniciada com a chegada de mais de 300 jovens, no dia anterior (14), para o Acampamento das Juventudes organizado pela Pastoral da Juventude de Santa Catarina. Além de celebrar a temática da Romaria, os jovens foram os responsáveis pela acolhida e animação dos romeiros e romeiras. A programação do dia 15 de setembro teve início com uma grande caminhada por cerca de três quilômetros fazendo memória de todas as 24 Romarias anteriores até a chegada na Gruta Nossa Senhora de Fátima, na região central de São José do Cerrito.

Nas proximidades da Gruta aconteceu a plantação da Cruz de Cedro, gesto tradicional das Romarias da Terra e das Águas de Santa Catarina. Cada participante da Romaria também recebeu uma cruz peitoral como símbolo da 25ª Romaria. A caminhada continuou até a igreja matriz São Pedro, onde em um grande palco montado foram realizadas as programações culturais e religiosas da Romaria.

Foto: Franklin Machado/CNBB Sul 4

Acolhendo a todos os participantes, o bispo de Lages, Dom Guilherme Antônio Werlang, disse que o grande recado desta Romaria é o zelo que todos os filhos e filhas de Deus precisam ter com a casa comum. “Somos um único povo e precisamos zelar da natureza, da nossa mãe terra, das nossas águas e rios. Independente se moramos no campo ou na cidade, somos responsáveis por todos os seres vivos para que tenhamos vida em abundância. Se não levantarmos nossas vozes enquanto Igreja, nós seremos corresponsáveis pela morte da terra e dos filhos e filhas de Deus”, declarou o bispo.

A 25ª edição da Romaria, além de ressaltar as alegrias e complexidades da vida de quem mora no campo e na cidade, também foi espaço de celebrar os noventa anos da Diocese de Lages, 50 anos da CNBB Regional Sul 4 e 40 anos da Comissão Pastoral da Terra/Santa Catarina.

Para Dom Severino Clasen, bispo de Caçador e presidente do Regional Sul 4 da CNBB, é na união do povo de Deus que acontece a Igreja de Jesus Cristo. “A Igreja em Santa Catarina deseja caminhar olhando para a terra e para as águas. Aqui não se estraga a terra, aqui se defende o que é do agricultor. Precisamos lembrar o que São Francisco nos dizia: ‘a terra é nossa irmã’. Se é nossa irmã, tem vida e se tem vida precisamos defender e conviver, não apenas olhar a utilidade”, ressaltou.

Foto: Franklin Machado/CNBB Sul 4

A Celebração Eucarística da Romaria da Terra e das Águas foi presidida por Dom Guilherme e teve a homilia conduzida pelo bispo auxiliar de Brasília (DF) e ex-secretário geral da CNBB, Dom Leonardo Steiner.

Ao final da Celebração, ocorreu o anúncio em que a Arquidiocese de Florianópolis acolherá a próxima edição da Romaria da Terra e das Águas. Como gesto simbólico, Dom Guilherme trocou uma cruz de madeira com o arcebispo de Florianópolis, entregando para a arquidiocese a organização do evento que acontecerá em 2021.

Com informações de CNBB Regional Sul 4.