Cuidar e servir: compromissos da Campanha da Fraternidade 2020

“Viu, sentiu compaixão e CUIDOU DELE” – O cuidar de Jesus e a sua disposição em servir, marca a terceira parte do Texto-Base da Campanha da Fraternidade 2020, aprofundado na manhã deste domingo, 1º de dezembro, pelos participantes do Seminário Regional da Campanha da Fraternidade da CNBB Sul 4. O encontro, realizado no Centro de Formação Católica de Lages (SC), reuniu cerca de 60 pessoas das dez dioceses catarinenses.

Os trabalhos foram iniciados com a oração do Oficio Divino das Comunidades, neste dia de luta contra a AIDS, conduzido pelos agentes da Pastoral da AIDS de Santa Catarina. Logo após, o assessor do Seminário, padre Danilo Vitor Pena, do clero da diocese de Jacarezinho (PR), apresentou as principais indicações do texto que liga a Campanha da Fraternidade de 2020 ao seu propósito de ação.

De acordo com padre Danilo, é necessária uma renovação familiar e de comunidade. “As Diretrizes da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil indicam que é necessário ir ao encontro das famílias em suas diversas realidades. A grande meta das nossas comunidades eclesiais missionárias, observando as luzes, trevas e as contradições inerentes à condição humana, é o acolhimento, cultivando uma Igreja de portas sempre abertas, lugar do cuidado”, declarou o assessor.

Gestos concretos – A articuladora das Pastorais Sociais do Regional Sul 4 da CNBB, Carla de Oliveira Guimarães, apresentou as duas principais ações que a Campanha da Fraternidade 2020 assume. A primeira dela é o assumir nas comunidades a Jornada Mundial dos Pobres, a pedido do Papa Francisco, como a advertência a um mundo profundamente marcado pela indiferença. A outra indicação é a realização da Coleta da Solidariedade da Campanha, que no próximo ano acontece no dia 5 de abril.

A Coleta da Solidariedade é a financiadora dos Fundos Nacional e Diocesano da Solidariedade. Do total arrecadado pela Coleta, as dioceses devem enviar 40% para o Fundo Nacional, gerenciado pela CNBB. A outra parte (60%), permanece nas dioceses para atender aos projetos locais por meio do Fundo Diocesano.

No momento de oração houve um espaço de testemunho de vida de membros da Pastoral da AIDS.
Foto: Franklin Machado/CNBB Sul 4.

Os recursos arrecadados são destinados preferencialmente a projetos que atendem os objetivos gerais e específicos propostos pela Campanha da Fraternidade 2020. Em 2018, os 40% enviados pelas dioceses para o Fundo Nacional, somou um montante de R$ 6.844.022,56. Com esse valor, foram apoiados 179 projetos espalhados por todo o Brasil.

A dez dioceses de Santa Catarina, enviaram para o Fundo Nacional da Solidariedade um total de R$ 393.463,99. Cerca de R$ 600,00 permaneceram para destinação em projetos locais. Somando com os 60% da coleta que permaneceu nas dioceses, o Regional Sul 4 da CNBB, em 2018, arrecadou cerca de 1 milhão de reais.

Trabalho de Grupos – Encerrando o Seminário, os participantes foram divididos em grupos para, a partir de alguns encaminhamentos, indicados no Texto-Base, pensar ações que em nível Regional podem ser realizadas levando em conta toda a proposta da Campanha da Fraternidade 2020.

Agora é hora de voltar para às dioceses, paróquias e comunidades, aprofundar a temática da Campanha da Fraternidade 2020 para a realização de ações locais, buscando, a convite do Papa Francisco, a vivência de uma Igreja em defesa da vida, samaritana e em saída. É tempo de ‘ver, sentir compaixão e cuidar’’. Os materiais da Campanha da Fraternidade 2020 estão disponíveis no site http://campanhas.cnbb.org.br.

Fotos e texto: Regional Sul 4 da CNBB